quinta-feira, 7 de julho de 2016

Melhor serem dois do que um...

O Amor completa um ao outro
Deus cria o casamento com um homem e uma mulher e os faz um.
E apesar do amor estar disposto a agir sozinho, se necesrio, é sempre melhor quando essa performance não é solitária. 
Amor pode agir sozinho se não houver outra maneira, mas existe um "caminho sobremodo excelente" (1 Coríntios 12:31). O amor nos desafia a não parar de amar até que se alcance esse caminho.
Esse aspecto "complementar" do amor foi revelado à humanidade desde o princípio. Deus deu origem à raça humana com um macho e uma fêmea - ambos parecidos mas com aspectos que completam um ao outro criados para viverem em harmonia.
Nosso corpo é feito um para o outro. Nossa natureza e temperamentos fornecem equilíbrio, nos capacitando a cumprir nossas tarefas de forma mais eficiente. A nossa união pode gerar filhos, e o nosso trabalho em equipe pode conduzi-los melhor a uma vida saudável e à maturidade. Onde um é fraco, o outro é forte. Quando um precisa construir algo, o outro está preparado para ajudar e encorajar. Multiplicamos a alegria um do outro e dividimos nossas tristezas.
A Bíblia diz, 
"Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Pois se caírem, um levantará o seu companheiro;mas ai do que estiver só, pois, caindo, não have outro que o levante" (Eclesiastes 4:9-10). É como as suas mãos, que não apenas vivem juntas mas multiplicam a eficiência uma da outra. Com o objetivo de fazerem o que fazem, nenhuma das duas é totalmente completa sem a outra.
Embora as nossas diferenças sejam freqüentemente a fonte do desentendimento e do conflito, elas foram criadas por Deus e podem ser bênçãos infinitas se nós as respeitarmos.
Um de vocês pode cozinhar melhor, por exemplo, enquanto o outro é mais eficiente lavando a louça. Um pode ser mais gentil e capaz de manter a paz entre os membros da família, enquanto o outro lida com a disciplina mais direta e efetivamente. Um pode ter uma boa mente para os negócios, mas precisa do outro para ajudá-lo a ser generoso.
Quando aprendemos a aceitar essas diferenças em nosso cônjuge, podemos contornar a crítica e estar prontos para ajudar e apreciar um ao outro.
Mas alguns parecem não estar dispostos a superar as diferenças de seu (sua) companheiro (a). E, como resultado, eles perdem muitas oportunidades. Eles não se beneficiam da singularidade que faz cada um deles mais eficiente quando inclui o outro.
Um exemplo da Bíblia a esse respeito é Pôncio Pilatos, o governador romano que presidiu o julgamento de Jesus. Sem ter ciência de quem era Cristo e contrariando a sua própria opinião, ele permitiu que a multidão o influenciasse a condenar e crucificar Jesus.
Porém, a única pessoa que estava mais sensível ao que estava acontecendo era a esposa de Pilatos, que chegou a ele no auge do alvoroço e o advertiu de que estava cometendo um erro. 
"E estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou dizer-lhe: Não te envolvas na questão desse justo, porque muito sofri hoje em sonho por causa dele" (Mateus 27:19).
Ela era aparentemente uma mulher de discernimento apurado que captou a magnitude desses eventos antes de seu marido. Certamente, a soberania de Deus estava em ação, e nada teria livrado Seu Filho de ir obedientemente à cruz por nós. Contudo, a rejeição de Pilatos à intuição de sua esposa revela um lado infeliz da natureza do homem que é constantemente ocultado. Deus fez as esposas para completarem seus maridos, e Ele muitas vezes dá a elas discernimento que seu marido não tem. Se esse discernimento é ignorado, a decisão do homem, na maioria das vezes, causa problemas.
A eficiência do seu casamento depende dos dois trabalhando juntos. Você tem alguma decisão importante a tomar sobre finanças ou plano de aposentadoria? Você está enfrentando um rio problema com um colega de trabalho? Está cada vez mais difícil lidar com ele? Você está lutando para saber que atitude tomar? Você está absolutamente convencido que as escolhas educacionais para seus filhos são as corretas, não importando o que seu cônjuge pense?
Não tente analisar tudo por você mesmo. Não desqualifique o direito dele de opinar em questões que dizem respeito a ambos. O amor entende que Deus uniu vocês com um propósito. E mesmo que você acabe discordando das perspectivas do seu cônjuge, ainda assim você deve respeitar e levar em consideração a visão dele. Isto honra o plano de Deus para seu relacionamento e protege a unidade que Ele intenciona.
Juntos, vocês são melhores do que sozinhos. Vocês precisam um do outro. Vocês se completam. Reconheça que o seu cônjuge é essencial para um futuro de sucesso. Faça-o saber hoje que você deseja incluí-lo em suas próximas decisões, e que você precisa do seu conselho e ponto de vista. Se você ignorou as iias dele no passado, admita seu descuido e peça-o para perdoá-lo.

(livro: o desafio do amor – Filme: A prova de fogo)