quarta-feira, 10 de agosto de 2016

10 mandamentos da Família: 5º mandamento


Como é bom e agradável
quando os irmãos convivem em união! Salmos 133:1

O individualismo tem se tornado uma realidade cada vez mais presente. O ser humano tem apresentado dificuldades de conviver em família e dividir a vida com outras pessoas, o que passa a falsa sensação de que não precisamos uns dos outros. Com isso, as pessoas se isolam, e suas atividades do dia a dia não incluem outras além delas mesmas.
Nós, como igreja, precisamos ser exemplos de unidade. Uma família representa um conjunto de pessoas, e uma igreja representa um conjunto de famílias. Temos de entender que Deus não nos criou para vivermos sozinhos; o Corpo de Cristo só pode existir se todos os membros estiverem unidos, e uma família só se realiza se todos também compartilharem dessa unidade.

"Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros." Romanos 12:5

Brigas, conflitos, opiniões divergentes. Muitos são os motivos apontados como a causa dos desentendimentos. Temos consciência de que as pessoas não são iguais e, por conta disso, enxergam a vida com outros olhos. Mas uma coisa precisa ser considerada: ter unidade é mais importante que ter razão. Estar unido é mais importante que vencer debate. Por meio da palavra, percebemos que, em alguns momentos, o discípulo de Jesus também se desentendia, mas apesar disso, nunca se separaram; mantivera-se unidos nos bons e maus momentos.;
"Começou uma discussão entre o discípulo acerca de qual deles seria maior." Lucas 9:46 (versão NVI)
.
Uma discussão boba, uma disputa por posição. A maioria das contendas também começam por motivos fúteis. Tenha sabedoria. Não vá diante com discussões tolas que podem atrapalhar a harmonia de seu lar. Assim deve ser nossa família.
A unidade vem em primeiro lugar, acima de interesses individuais. Disse Jesus: "Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá." (Mateus 12:25b). Sabendo disso, faça tudo o que estiver ao seu alcance para ter paz em seu lar.

Em Efésios 4:1-3, Paulo explica que fomos chamados para vivermos em comunhão. Porém, por causa da natureza humana, que é egoísta, o homem é tentado a satisfazer a vontade da carne, muitas vezes dando lugar às magoas, alimentando os conflitos familiares. Mas todos os que provaram o amor de Deus precisam se esforçar para preservar a unidade do Espirito, sendo humildes e mansos uns com os outros, pois, só assim, poderemos nos apoiar mutuamente.
Um bom exemplo de família foi a de Filipe (Atos 21:8-9), pois suas quatro filhas jovens viviam na presença de Deus, guardavam-se e serviam a Ele. Já a família de Noé foi um modelo de união (Gênesis 6:13-18;9:1).
Os parentes de Noé poderiam tê-lo abandonado, já que o povo não deu crédito à sua pregação, contudo, em vez disso, entraram com ele na arca. Assim, como consequência da obediência a Deus, toda a família foi preservada com vida e abençoada pelo senhor.
Uma família assim se constrói vivendo da palavra junto dos seus. Os pais devem ter conversas diárias, frequentes e francas com os filhos tanto crianças como adolescentes. De fato, é exatamente esse tipo de comunicação constante e amorosa que a Bíblia recomenda (Deuteronômio 6:6-7). Quando essa orientação é aplicada o lar se torna um ambiente onde a palavra de Deus é respeitada, e, naturalmente prevalecerá a união familiar. "Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derribado a parede de separação que estava no meio." (Efésios 2:14).


Autoria: IIGD ( Igreja Internacional da Graça de Deus)