quinta-feira, 11 de agosto de 2016

10 mandamentos da Família: 6º mandamento

6º Mandamento: Tenham boa comunicação familiar, ouçam mais e falem menos...



Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, Tiago 1:19

Nesse texto de Tiago,  encontramos três conselhos importantes para uma boa comunicação familiar: ser preparado para ouvir, ter cuidado com as palavras e ser capaz de vencer o impulso de se irar rapidamente. Quando uma dessas afirmações é desprezada, corremos o risco de ver a comunicação familiar ser interrompida, o que não é difícil de acontecer. A Palavra diz: Responder antes de ouvir é estultícia e vergonha. (Provérbios 18:13). No calor  do dia a dia, falamos mais que ouvimos. Interpretamos as atitudes dos nossos familiares sem dar a eles a oportunidade de falar.
Julgamos e condenamos os da nossa casa sem buscar entender a origem de seus comportamentos, porque não estamos acostumados a ouvi-los. Às vezes, sequer acreditamos no fato de que tenham algo a dizer.
Jesus, quando confrontado pelos escribas e fariseus no caso da mulher adúltera, permaneceu em silêncio escrevendo na terra (João 8:1-11). Ele não estava calado por não saber o que dizer ou por concordar com a atitude daquela mulher; o silêncio do mestre nos ensina a não tomar atitudes no calor do momento, levados por discursos de outras pessoas, mas a buscar em Deus a direção para toda e qualquer situação.
Depois que os homens desistiram de apedrejar a mulher, Jesus concedeu a ela a oportunidade de falar. Perceba que aquela era uma pecadora pega no próprio ato de adultério. O que ela fez era indesculpável, mas, ainda assim, o Mestre permitiu que ela tivesse voz para, só então, orientá-la e exortá-la: Nem eu também te condeno; vai-te e não peques mais (João 8:11b).
Nas situações de tensão familiar, ouça o que o outro tem a dizer, mas principalmente, ouça o que Deus ministrar ao seu coração. Dê a Ele a oportunidade de lhe ensinar como agir.
Talvez isso seja difícil para alguns. Na verdade, em tudo o que intentamos fazer, precisamos nos esforçar e sempre confiar que o Senhor Jesus irá à nossa frente, a fim de que o impossível torne-se possível. (Mateus 17:20). Começar algo nem sempre é fácil. Nesse caso estamos falando da nossa família, pois a felicidade dela é o objetivo, e isso vale o nosso esforço. Não é verdade?
A Bíblia diz que o fruto do Espirito é o amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. (Gálatas 5:22). Observe que três dessas qualidades estão relacionadas à orientação de Tiago de sermos prontos para ouvir:
  • longanimidade: capacidade de desprezar as ofensas;
  • mansidão: tranquilidade;
  • temperança: moderação.
Só conseguiremos ouvir mais, falando e nos irando menos, se dermos espaço ao Espirito de Deus em nosso viver. Ele é quem pode frutificar como convém!
E, na medida em que andamos em Espirito, nos afastamos das obras da carne, as quais produzem morte e confusão. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espirito é da e paz. (Romanos 8:6).

Quando ouvimos mais que falamos, também nos iramos menos. O próprio Tiago nos alerta, na continuação de sua carta, que se irar não resolve as situações. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus. (Tiago 1:20). Antes, é preciso rejeitar nossos ímpetos e receber com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar a vossa alma. (Tiago 1:21).
Busque o Senhor antes de tomar qualquer atitude em sua casa. Ouça o que Ele tem a dizer antes de abrir a boca para condenar, criticar ou reclamar. Ande em Espírito e colha o fruto de uma família alicerçada no amor e na paz!

Autoria: IIGD ( Igreja Internacional da Graça de Deus)