segunda-feira, 15 de agosto de 2016

10 mandamentos da Família: 8º mandamento


Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade do Senhor. Efésios 5:15-17

8º Mandamento: Passem tempo juntos, sejam presentes na família.

A vida moderna apresenta tantas distrações que, hoje. apesar de estarem debaixo do mesmo teto, os membros das famílias estão a quilômetros de distância uns dos outros. Por vezes, estão mais próximos de estranhos, através de redes sociais, que conectados aos da própria casa.

Para que nossa família se firme, é necessário gastarmos tempo com nossos familiares; tempo de qualidade, de partilha, de conexão. É preciso priorizar nossas relações, conferindo-lhes a importância que merecem em nossa vida. Fazer atividades com o cônjuge e com os filhos abre espaço para diálogos mais profundos.

Muitos dirão que não tem tempo para tais coisas, mas o autor de Efésios já nos alerta: Portando, vede prudentemente como andais, não como néscios (tolos), mas como sábios, remindo (aproveitando) o tempo, porquanto os dias são maus. Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. (Efésios 5:15-17).

Deus se importa mais com relacionamentos que com serviço...

A vontade de Deus é que cuidemos uns dos outros. Na passagem de Jesus pela casa de Marta e Maria, Ele deixa claro que se relacionar é mais importante que servir (Lucas 10:38-42). Marta estava cansada esforçando-se para servir a Jesus enquanto Maria gastava seu tempo com o Mestre. Além do aprendizado espiritual, de que ouvir Jesus é mais importante que tentar servir-lhe, podemos entender também que estar COM nossa família renderá mais frutos que apenas servir a ela.

Do que adianta os pais gastarem todo o tempo trabalhando para oferecer o melhor aos filhos ou, ainda, as mães que trabalham em casa correrem de um lado para o outro para manter tudo em ordem, se não gastarem tempo COM os filhos? O Serviço se perde, mas os relacionamentos não se perdem.

Jesus disse à Marta que a escolha de Maria, a melhor parte, não lhe seria tirada. Da mesma maneira, os vínculos que estabelecemos com nossos filhos e com nosso cônjuge jamais se perderão. Ainda que venham as adversidades e as crises financeiras, o elo entre os familiares perdurará.

Mas, se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel. I Timóteo 5:8

Cuide de sua família, não apenas no plano material, mas construa um ambiente de segurança emocional e, principalmente, esteja perto o suficiente para conhecer o estado espiritual dos filhos, do cônjuge e dos pais. Procura conhecer o estado das tuas ovelhas; põe o teu coração sobre o gado. (Provérbios 27:23).

O Texto Sagrado nos orienta a colocar o coração sobre os nossos rebanhos, o que quer dizer nos dedicarmos, gastarmos tempo, estarmos presentes e cultivarmos a comunhão. É isso o que Deus espera de nós, e aquele que conhece a Palavra e age de maneira diferente nega sua fé e torna-se pior que o incrédulo.

Estar peto, observando as atitudes, prestando atenção no que está por trás das palavras dos nossos familiares, irá nos fazer perceber e tratar os problemas antes que essas situações adversas se agravem. Pois, nossos filhos se dão a conhecer pelas suas atitudes (Provérbios 20:11-13). Mas, quando temos olhos, mas não vemos e ouvidos e não ouvimos, podemos ser pegos de surpresa com a destruição da nossa família.

Portando, família unida investe tempo e energia na construção e manutenção de um relacionamento construtivo. Com isso, os cônjuges conversam mais entre si; os pais brincam mais com os filhos; há mais caminhadas de mãos dadas, ou seja, há quantidade e qualidade de dedicação de tempo. Além disso, essa família valoriza os almoços à mesa; as férias são momentos inesquecíveis; os aniversários, mesmo com simplicidade, são comemorados; ps dias festivos são lembrados e vividos intensamente, e a participação nos cultos torna-se importantes. Enfim, essas "tradições", pequenas e grandes, estreitam os nosso laços, nos renovam e nos dão uma identidade enquanto família.

Autoria: IIGD ( Igreja Internacional da Graça de Deus)